3000 de Esparta?

28 07 2010

Enquanto se aproximava das Termópilas, Xerxes não poderia prever a grande derrota moral que seus cem mil soldados sofreriam diante de apenas 300 soldados espartanos. O imperador persa necessitou de três dias para derrotar um exército ínfimo – comparado ao seu – e sua vitória não camuflava a perda de moral de seus soldados.

                        Ao final de Junho 2010, o Museu de Arte Popular atingiu duas marcas expressivas, passamos dos 3.000 visitantes na exposição Caminhos do santo(inaugurada em 21 de Dezembro de 2009), e, em seguida, os 3.000 visitantes no primeiro semestre de 2010. É um número representativo, já que no mesmo período, em 2009, o museu recebeu menos de mil visitantes. Torcemos para que no próximo ano possamos triplicar novamente nossos números, sempre atendendo com atenção e compromisso nossos visitantes ávidos por cultura.

                        Para nós, da equipe MAP, os 3.000 visitantes são uma grande vitória. Não uma vitória desmoralizante como a da Pérsia, tão pouco uma vitória moral como a dos espartanos. O Museu de Arte Popular teve uma vitória completa, pois cultura, educação e pesquisa, nunca são demais.

                        Se a pena (caneta) realmente é mais forte do que a espada, os visitantes do MAP não resistiriam três dias contra Xerxes. Pelo contrário, teriam dizimado o exército persa e expulsado o imperador aos pontapés…

Os gregos então?

Estes não teriam chances. Sorte deles que o Museu de Arte Popular foi fundado quase dois mil e quinhentos anos depois.

Anúncios




Férias no Museu

13 07 2010

Dizem as más línguas que museu é lugar de passado e de tudo que for monótono, chato e sem graça.

            Mas, quem se debruça sobre estas instituições, sabe que a realidade, em alguns momentos, é bem diferente. O passado é pertinente, porém, revisto, atualizado, servindo como portal atemporal.

            Os museus são locais propícios de aprendizado, recebendo o público em geral, em especial, as escolas que os procuram no decorrer do ano letivo, a fim de ampliarem seus horizontes acerca de elementos culturais.

            No entanto, o período das férias escolares (Julho), gera sempre uma baixa nos espaços no que concerne à visitação da comunidade escolar, sem seu público assíduo de estudantes ávidos por saber.

            Pensando nisso, o Museu de Arte Popular resolveu driblar a ausência dos alunos, participando nos dias 13, 14 e 15 de Julho, em parceria com a Gerência de Animação Cultural, da Prefeitura do Recife, da Colônia de Férias, recebendo 150 alunos de escolas público-municipais.

            Os “colonos” vivenciarão uma mediação especial, com brincadeiras, dinâmicas, teatro e muito aprendizado. Será um dia diferente para funcionários e visitantes, uma verdadeira invasão mirim e, no final, será uma grande festa, do lazer, da educação e da cultura.

            Já vamos indo que a brincadeira vai começar!!!





O mundo envelheceu?

25 05 2010

Houve um tempo em que o pensamento dominante ocidental considerava os mais velhos como indivíduos obsoletos, antigos e antiquados. Eram tidos como um grupo de pessoas para quem não valia mais a pena manter expectativas, afinal, estariam tão próximos da reta final do percurso da vida, que nutrir por eles qualquer anseio, era desperdiçar tempo olhando para um passado irrelevante e sem brilho.

Melhoras no sistema de saúde, surgimento da biotecnologia, novas descobertas no campo da genética e melhorias econômicas e sociais fizeram com que a expectativa de vida aumentasse e a população mundial “envelhecesse”. A dita “terceira idade” ganhou visibilidade e passou a ser discutida nas academias e órgãos governamentais. Era chegada a hora de se pensar em uma sociedade que valorizasse os idosos.

Para isso, buscou-se nas sociedades milenares orientais a sabedoria de respeitar os mais velhos e concebê-los como guardiões de saberes tradicionais, materialização do passado e elos cronológicos. É nesta perspectiva, que ainda nas comemorações da 8° Semana Nacional de Museus, o Museu de Arte Popular – MAP, abriu suas portas ao público de idosos da Diretoria de Lazer e Cidadania da Prefeitura de Recife, que na maioria dos casos, pela primeira vez, adentraram um espaço museal e se encantaram com as obras plásticas da cultura popular.

Ao entardecer, por volta das 16horas, como culminância das atividades da semana, o MAP e o MLG promoveram o debate “Acessibilidade em Museus” no Teatro Hermilo Borba Filho com a presença de gestores de instituições públicas, ong´s e militantes do Movimento Negro. Os presentes discutiram ações efetivas de inclusão social e física junto a públicos habitualmente cerceados, tais quais: pessoas com deficiência e grupos de vulnerabilidade social.

Confira abaixo as fotos!





Pátio de São Pedro, 19 de Maio. Dia 3! Filas de espera…

19 05 2010

Acostumados às filas quilométricas e  esperas agonizantes, brasileiros não mais estranham o cenário de bancos, supermercados e hospitais, que apeados de gente e trabalho submetem aqueles que necessitam de seus serviços a momentos de cansaço, ansiedade e estafa.

Nesta Quarta-Feira, seguindo com as atividades da 8º Semana Nacional de Museus, o Memorial Luiz GonzagaMLG –  e o Museu de Arte PopularMAP – protagonizaram uma cena parecida com a citada acima, mas as semelhanças param nas filas, que ao contrário daquelas que estressam e comprometem a qualidade de vida, eram de jovens e adultos ávidos por conhecerem a arte e a cultura do povo nordestino.

Ambos os espaços receberam adolescentes atendidos pela Fundação de Atendimento Socioeducativo FUNASE (Iputinga), reeducandos da Penitenciária Agro-Industrial São João e da Colônia Penal Feminina de Abreu e Lima que puderam adentrar na esfera religiosa dos locais votivos do Nordeste e vivenciarem através de atos performáticos a aura mítica de práticas votivas que remetem aos lugares de devoção aos santos populares.

No turno da tarde, foi a vez de crianças(AACD) e adultos (Gerência de Apoio a Pessoas com Deficiência) cadeirantes conhecerem as fotos do Marcelo Feitosa, obras de artistas de Tracunhaém e a história do São Longuinho no Museu de Arte Popular, sem contar com a alegria provocada por escutarem e tocarem sanfona no Memorial Luiz Gonzaga.

Os dois grupos de visitantes compõem uma parcela do público almejado pela parceria MAP e MLG, que visa atingir (também) aqueles que têm poucas chances de conhecer espaços culturais. Esta iniciativa surge neste momento, em torno da programação da “semana”, mas esperamos que as ações possam se manter e se perpetuar, pois, para quem achava que fila só significava “coisa ruim”, tem que admitir que filas em Museus é coisa rara e única…

Notícias Semana de Museus





8º Semana Nacional de Museus

14 05 2010

           

 

O Museu de Arte Popular e o Memorial Luiz Gonzaga, durante o período de 17 a 21 de Maio, vivenciarão a 8ª Semana Nacional de Museus, que tem por tema, “Museus para a Harmonia Social”. Oportunizando o eixo temático proposto, resolvemos trabalhar os espaços museais como locais inclusivos junto a um público de pessoas com deficiência, mobilidade reduzida e jovens em vulnerabilidade social.

            Ao final da semana, para debater teorias e políticas efetivas, no concernente à acessibilidade em museus e outras instituições culturais, o MAP e o MLG promoverão uma mesa de debates, no Teatro Hermilo Borba Filho, no dia 21 de Maio, às 16:00 horas, contando com a presença dos seguintes palestrantes: Antônio Muniz da Silva (Assessor da Secretaria de Assistência Social), Eleonora Pereira (Assessora Política da Casa de Passagem), José Nunes Júnior (Gestor Administrativo da AACD), Vitória Barros (Gerencial de Medida de Semi-liberdade), Rebeca Oliveira (Observatório Negro). Márcio Luna (Coordenador Educativo do Memorial Luiz Gonzaga) e Daniel Barreto (Coordenador Educativo do Museu de Arte Popular) serão os coordenadores da mesa.

 *Mesa-debate de encerramento da semana de museus

Quando | Dia 21 de Maio, sexta-feira, às 16 horas

Onde | Teatro Hermilo Borba Filho, Rua do Apolo, 121, Bairro do Recife

 Sobre os palestrantes

1. José Nunes Júnior | Bacharel em Direito, pós-graduado em Gestão de recursos Humanos, Ex-executivo do Grupo Votorantim, BCP Telecomunicações (atual Claro), e Grupo Pão de Açúcar. Gestor Administrativo da AACD desde janeiro 2009.

2. Eleonora Pereira | Articuladora Política da ONG Casa de Passagem,
Conselheira Estadual de Direitos Humanos,
Coordenadora da Rede de Combate ao Abuso e Exploração Sexual do Estado e
Ex-presidente do Conselho Estadual da Criança e do Adolescente.

 

3. Antônio Muniz da Silva | Graduado em Biblioteconomia e Pedagogia pela UFPE, com especialização em Educação Especial pela FAFIRE, foi diretor do Centro de Reabilitação e Educação Especial – CREE Recife, (1999/2001), foi Presidente do Conselho Deliberativo da CEAD (1998/2002), foi Coordenador da Coordenadoria Municipal para Integração da Pessoa com Deficiência – CORDE – Recife (2001/2005). Atualmente é Presidente da Associação Pernambucana de Cegos – APEC, tendo sido eleito em 27 de janeiro de 2007 e representou as Pessoas com Deficiência Visual no Conselho Estadual de Defesa dos Direitos da Pessoa com Deficiência – CONED (2004/2008). É membro da Comissão de Políticas Públicas e Delegado por Pernambuco da Organização Nacional de Cegos do Brasil – ONCB.

4. Vitória Barros | Pós-graduada em Gestão Pública. Gerente da Gerencial de Medida de Semi-liberdade. Professora de Educação Física.

5. Rebeca Oliveira | escritora, advogada e cientista política, com especialização em direitos humanos. Atua na organização da sociedade civil Observatório Negro e é pesquisadora em direitos humanos, cidadania e desigualdades raciais.

Museu de Arte Popular

Pátio de São Pedro | Casa 49

São José | Recife | PE