Teia de Cordéis | Diálogos II… Versando sobre educação

20 07 2011

Segundo diversos relatos, por meio dos folhetos de cordel, muitas pessoas, dentre as quais, crianças, aprenderam a ler e tiveram acesso aos divertidos e cuirosos causos e contos tradicionais da cultura popular nordestina.

Diálogos II...

Nos dias atuais, a Literatura de Cordel prossegue com seu veio pedagógico/educacional sendo, por exemplo, objeto de estudo para estudantes universitários como o Kalhil Gibran (História/UFRPE) que propõe um aprendizado lúdico a partir desses folhetos e com os cordelistas Meca Moreno (Unicordel) e Davi Teixeira (Unicordel) que, com sua boa prosa, instiga alunos, pais e professores através de oficinas a mergulhar nesses universos dos versos populares. E com eles, o Museu de Arte Popular (MAP) convida a todos para participarem da Teia de Cordéis | Diálogos II… Versando sobre educação, no dia 21 de julho no auditório da Livraria Cultura às 19h. Lembrando: a entrada é gratuita e serão emitidos certificados de participação.

O que | Diálogos II… versando sobre educação

Quando | Amanhã, dia 21 de Julho, às 19 horas

Onde | Auditório da Livraria Cultura

Informações| 3355-3110 | @MAP_recife

Serão emitidos certificados aos ouvintes

 

Sobre os facilitadores da conversa |

Meca Moreno é estudioso da poesia popular, poeta, compositor, artesão e produtor cultural. Pernambucano de Palmares, escreve poesia desde os 12 anos de idade; tem participado de várias antologias poéticas, além de ter poemas e artigos publicados em revistas e jornais diversos, é autor de vários cordéis e tem dois livros publicados: UNIVERSOS e GIRAMUNDO – O Espectador do Fim & Gêneros da Poesia Popular, o primeiro em co-autoria com o poeta Alfredo Moraes, numa edição independente. O segundo foi lançado pelas Edições Bagaço na V Bienal Internacional do Livro de Pernambuco, em outubro de 2005.  É membro da União dos Cordelistas de Pernambuco – UNICORDEL, coordenador do Movimento Cultural Companhia do Cordel, membro do Movimento Poetas Del Mundo. É também um dos organizadores das antologias “Poetas do Pajeú”, “Antologia do cordel de Pernambuco” e “Antologia da Poesia Urbana de Pernambuco”, todos para a Fundação do Patrimônio Histórico e Artístico de Pernambuco – FUNDARPE.

Davi Teixeira  nasceu em Bezerros, Pernambuco, em 1959. Radicado no Recife desde 1965. Cordelista e xilogravurista, que começou a escrever em 1998, é membro fundador da União dos Cordelistas de Pernambuco – Unicordel. Participa de diversos recitais e encontros, além de compor. Dedica-se também à confecção de mamulengos, feitos com material reciclado. Seu trabalho tem forte inspiração na cultura sertaneja, através das representações como o aboio, as cantorias e o cordel propriamente dito. Atualmente vem trabalhando com oficinas de mamulengo e expondo seus trabalhos em eventos por todo o estado de Pernambuco.

 

 

Kalhil Lucena é graduando em História pela Universidade Federal Rural de Pernambuco – UFRPE. Está vinculado a dois Grupos de Pesquisa: GEHISC (Grupo de Estudos em História Social e Cultural) e o GRESH (Grupo de Estudos sobre Ensino e Saberes Históricos). Também é escritor de literatura de cordel, sendo suas obras: 1- O que é História, realidade ou fantasia?; 2- O corno professor de História e as correntes historiográficas; 3- A linda história do nosso Recife. Sendo esse último ferramenta pedagógica integrante do projeto: O Recife em Cordel – pelo Museu da Cidade do Recife, Forte São Tiago das Cinco Pontas. Atualmente é Bolsista PIBIC/CNPq/UFRPE, com a seguinte pesquisa: As Representações da República Velha na Cultura Popular e no Livro Didático.

REALIZAÇÃO |

                                                        

Anúncios




“As Gueledés – a festa das máscaras”

11 11 2010

Esse livro é dedicado ao público infantil, e também a todos àqueles que têm interesse pelos patrimônios culturais do continente africano no Brasil.

O livro é uma viagem à Sociedade Gueledé do povo Iorubá, tão presente  na formação social e cultural brasileira.

A Sociedade Gueledé é uma sociedade de máscaras que realiza festivais com música, dança, e principalmente exibindo indumentárias, e máscaras construídas de madeira ou de outros materiais. São máscaras temáticas, verdadeiras instalações que relatam os temas do cotidiano, temas mitológicos, e principalmente os diferentes papéis culturais da mulher.

O livro integra esse o imaginário africano ao do Brasil, e é também texto para conhecer e refletir sobre as profundas relações entre os povos da Costa e a nossa civilização.

É ainda uma leitura educativa que se integrada ao projeto de ensino de História e da Cultura  Africana no Brasil.

Nota

A UNESCO conferiu o título de Patrimônio Mundial da Humanidade à Sociedade Gueledé, nas suas realizações no Benin, e na Nigéria.

Lançamento na Livraria Cultura, no dia 19 de Novembro de 2010.





Último encontro 2010! Diálogos VIII…Yabá: a mulher e o sagrado + lançamento de “As Gueledés – a festa das máscaras”

8 11 2010

Último encontro 2010 da série Diálogos..., do MAP, com lançamento de livro voltado ao público infantil.

No ano de 2010, o Museu de Arte Popular (MAP), vinculado à Fundação de Cultura Cidade do Recife, deu início a uma série de debates que chega agora em sua oitava edição, a Caminhos do santo | Diálogos…, sendo esta a última edição deste ano. Ao longo do ano, o MAP promoveu debates sobre diversos assuntos suscitados pela mostra Caminhos do santo, atual exposição do museu, como a mesa de 7 de abril, que abordou a Menina-sem-nome e as cruzes de estrada, através de um curta e um documentário, além da visão da folkcomunicação sobre fenômenos como estes. Ainda em abril, no dia 22, tivemos uma mesa com três historiadores, trabalhando o personagem de Meu Rei, o santo não-canônico São Severino do Ramos e o imaginário religioso do homem sertanejo. Em maio foi a vez das imagens das romarias tomarem a mesa, através do Padre Cícero e do Morro da Conceição. Em agosto, mês das assombrações, caçamos os fantasmas e as lendas urbanas do Recife. Setembro foi o mês em que o teatro e a religião se encontraram na Diálogos. Em outubro, em parceria com o FIDR, abordamos a dança de rua, uma nova expressão de arte popular, urbana e atual. E agora, em novembro, como é de praxe, este debate terá como ponto de partida um tema ligado a exposição e ao momento da cidade e do mundo.

No dia 19 de novembro de 2010, teremos Caminhos do santo | Diálogos VIII…Yabá, a mulher e o sagrado, no auditório da Livraria Cultura, às 18:00 horas. Teremos como conferencista o pesquisador de cultura afro-brasileira Raul Lody, autor de obras como Dicionário de Arte Sacra e técnicas afro-brasileiras ; O Negro no Museu Brasileiro: construindo identidades ; Santo também come ; Povo do Santo – Religião, História e Cultura dos Orixás, Voduns, Inquices e Caboclos ; e também do livro infantil Seis Pequenos Contos Africanos. Raul também atua como curador da Fundação Gilberto Freyre (PE), da Fundação Pierre Verger (BA), do Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura (CE), Museu do Folclore (SP) e é Doutor em Etnologia pela Universidade de Paris.

Para fechar este ano com “chave de ouro”, o MAP aproveitará o contexto do 20 de novembro, comemorado como o dia da consciência negra, data escolhida em homenagem a morte de Zumbi dos Palmares. Hoje, as comemorações tomam todo o mês de novembro e no dia 19, o MAP trabalhará o papel da mulher nas religiões afro-brasileiras. E ainda reconhecendo e afirmando o museu como um espaço de formação, colaboração e difusão de saberes, o Museu de Arte Popular promoverá, em parceria com a editora Pallas e a Livraria Cultura, o lançamento do livro voltado para o público infantil: As Gueledés – A Festa das Máscaras, de autoria do curador, antropólogo, etnólogo e museólogo Raul Lody que também assina as ilustrações da publicação. O livro infantil explica o ritual secular das Gueledés, festa anual onde os homens iorubás contam a história das Senhoras da Noite (Iás na tradição iorubá) que formaram uma sociedade secreta para tomar o mundo.

Gueledés convite

O que | Caminhos do santo | Diálogos VIII… Yabá, a mulher e o sagrado. Encerramento da série Diálogos 2010 e lançamento do livro Gueledés.

Quando | 19 de novembro de 2010, sexta-feira, às 18 horas.

Onde | Auditório da Livraria Cultura

Promoção | Museu de Arte Popular – MAP

Quanto | Grátis

Informações | 3355-3110 / 3355-4720

Para entrar em contato com o setor de Pesquisa e Cultura: pesquisamap@hotmail.com

Para entrar em contato com o setor Educativo e Cultura: educativomap@hotmail.com

Para contatos em geral: museudeartepopular@hotmail.com

Raul Lody| Doutor em Etnologia pela Universidade de Paris, atual Sorbonne, Raul Lody é curador da Fundação Gilberto Freyre em Recife (PE), da Fundação Pierre Verger em Salvador (BA), do Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura em Fortaleza (CE), Museu do Folclore em São José dos Campos (SP). É autor de dezenas de livros, incluindo À Mesa com Gilberto Freyre, Xangô – O senhor da casa de fogo e Cabelos de Axé – Identidade e Resistência.

Coordenação de Mesa

Fábio Carvalho | História, UFPE e Coordenador de Pesquisa do Museu de Arte Popular.

Realização | Museu de Arte Popular





Respeitável Público!!!

28 09 2010

Em menção ao mês das crianças, preparamos para os dias 05, 06, 07 e 08 de Outubro uma Semana Especial, repleta de atividades diferenciadas com mediações musicadas e atividades artesanais : oficinas de Fantoches e Bonecas de Pano.

Nossa programação será a seguinte:

HORÁRIO
Terça (05\10) Quarta (06\10) Quinta (07\10) Sexta

(08\10)

Manhã

(09:00 às 12:00)

Oficina de Fantoches

(Rita de Cássia)

Oficina Bonecas de Pano

(Rita de Cássia)

Oficina

Boneca de Pano

(Rita de Cássia)

Visitação
Tarde

(14:00 às 17:00)

Visitação Mediação Musical

(Marcos Leite)

Mediação Musical

(Marcos Leite)

Oficina de Fantoches

(Rita de Cássia)

Oficina de Fantoches:

Através de uma metodologia clara e técnicas simples, a artesã Rita de Cássia propõem-se a ensinar as crianças, numa faixa etária dos 08 aos 12 anos, a arte dos fantoches, possibilitando que cada participante solte a imaginação e confeccione seu próprio amigo falante.

Oficina de Bonecas de Pano:

A artesã Rita de Cássia trará ao MAP todos os “ingredientes” necessários para a confecção de Bonecas de Pano repletas de estilo e personalidade. Venha criar seu próprio brinquedo!

Mediação Musicada:

Para embalar nossa caminhada pelos locais de romarias, personagens e histórias, o músico Marcos Lopes irá acompanhas nossos visitantes através de clássicos da MPB, que nas vozes de grandes intérpretes da música nacional, fixaram-se no imaginário popular como retrato indelével da fé, da cultura e da arte brasileira.

Para Participar:

Cada oficina terá 10(Dez) vagas para crianças na faixa-etária dos 08 aos 12 anos e que tenham disponibilidade nos horários estabelecidos na programação.

As inscrições serão realizadas por telefone através do número 3355-3110 e do e-mail educativomap@hotmail.com, do dia 28 de Setembro ao dia 04 de Outubro.

Os interessados em participar não precisam arcar com nenhum custo de matrícula ou aquisição de materiais, bastando apenas trazer alegria e muita disposição.

Caro educador, para agendar grupos escolares para os dias 06 e 07 de Outubro (Mediação Musicada) é só entrar em contato com o nosso Setor Educativo pelos telefones e e-mail acima citado.


Quem é quem?

Rita de Cássia: Artesã profissional desde 2000, quando começou a freqüentar feiras artesanais e criar diferentes tipos de bonecas de pano e outros artigos, tais como: fuxico, fantoches, bolsas, deboche, etc.

Marcos Lopes: Músico por aptidão e ofício do destino, dedica-se ao estudo das Ciências Sociais e ao Memorial Luiz Gonzaga onde trabalha como mediador cultural, nas horas vagas aproveita para fazer o que mais gosta – tocar violão e cantar clássicos da MPB.

Estamos esperando vocês!!!!!





Férias no Museu

13 07 2010

Dizem as más línguas que museu é lugar de passado e de tudo que for monótono, chato e sem graça.

            Mas, quem se debruça sobre estas instituições, sabe que a realidade, em alguns momentos, é bem diferente. O passado é pertinente, porém, revisto, atualizado, servindo como portal atemporal.

            Os museus são locais propícios de aprendizado, recebendo o público em geral, em especial, as escolas que os procuram no decorrer do ano letivo, a fim de ampliarem seus horizontes acerca de elementos culturais.

            No entanto, o período das férias escolares (Julho), gera sempre uma baixa nos espaços no que concerne à visitação da comunidade escolar, sem seu público assíduo de estudantes ávidos por saber.

            Pensando nisso, o Museu de Arte Popular resolveu driblar a ausência dos alunos, participando nos dias 13, 14 e 15 de Julho, em parceria com a Gerência de Animação Cultural, da Prefeitura do Recife, da Colônia de Férias, recebendo 150 alunos de escolas público-municipais.

            Os “colonos” vivenciarão uma mediação especial, com brincadeiras, dinâmicas, teatro e muito aprendizado. Será um dia diferente para funcionários e visitantes, uma verdadeira invasão mirim e, no final, será uma grande festa, do lazer, da educação e da cultura.

            Já vamos indo que a brincadeira vai começar!!!





Pátio de São Pedro, 19 de Maio. Dia 3! Filas de espera…

19 05 2010

Acostumados às filas quilométricas e  esperas agonizantes, brasileiros não mais estranham o cenário de bancos, supermercados e hospitais, que apeados de gente e trabalho submetem aqueles que necessitam de seus serviços a momentos de cansaço, ansiedade e estafa.

Nesta Quarta-Feira, seguindo com as atividades da 8º Semana Nacional de Museus, o Memorial Luiz GonzagaMLG –  e o Museu de Arte PopularMAP – protagonizaram uma cena parecida com a citada acima, mas as semelhanças param nas filas, que ao contrário daquelas que estressam e comprometem a qualidade de vida, eram de jovens e adultos ávidos por conhecerem a arte e a cultura do povo nordestino.

Ambos os espaços receberam adolescentes atendidos pela Fundação de Atendimento Socioeducativo FUNASE (Iputinga), reeducandos da Penitenciária Agro-Industrial São João e da Colônia Penal Feminina de Abreu e Lima que puderam adentrar na esfera religiosa dos locais votivos do Nordeste e vivenciarem através de atos performáticos a aura mítica de práticas votivas que remetem aos lugares de devoção aos santos populares.

No turno da tarde, foi a vez de crianças(AACD) e adultos (Gerência de Apoio a Pessoas com Deficiência) cadeirantes conhecerem as fotos do Marcelo Feitosa, obras de artistas de Tracunhaém e a história do São Longuinho no Museu de Arte Popular, sem contar com a alegria provocada por escutarem e tocarem sanfona no Memorial Luiz Gonzaga.

Os dois grupos de visitantes compõem uma parcela do público almejado pela parceria MAP e MLG, que visa atingir (também) aqueles que têm poucas chances de conhecer espaços culturais. Esta iniciativa surge neste momento, em torno da programação da “semana”, mas esperamos que as ações possam se manter e se perpetuar, pois, para quem achava que fila só significava “coisa ruim”, tem que admitir que filas em Museus é coisa rara e única…

Notícias Semana de Museus





2001: Uma Odisséia no MAP.

3 05 2010

Inaugurada no dia 21 de Dezembro de 2009, pouco antes do feriado de Natal e Ano-Novo, a exposição Caminhos do santo do Museu de Arte Popular (MAP), atingiu uma importante marca, os 2001 visitantes, no dia 19 de Abril de 2010. Levando em consideração o período de inauguração da exposição: em cima dos feriados de Natal, Ano Novo e Santos Reis, podemos dizer que o MAP manteve uma média de 500 pessoas por mês.

                        Desde sua reinauguração, o MAP contou com duas exposições, além da atual. A primeira exposição contou com cerca de 900 visitantes, em sete meses de duração. A segunda exposição, Vitalinos, que homenageava o centenário do Mestre de Caruaru, assim como seus seguidores, chegou a pouco mais de 4.000 visitantes em seis meses de exposição (Junho – Dezembro de 2009). O crescimento significativo da primeira exposição, para a segunda, e da segunda para a terceira (que pode alcançar os 4.000 antes de completar 5 meses), indica que o MAP vem traçando um planejamento correto para se firmar como um centro cultural em Pernambuco.

                        A exposição Caminhos do santo, trabalha a religiosidade e a fé dentro do universo da Arte Popular nordestina, estendendo este conceito para a Cultura Popular como um todo. Temas diversos, como São Severino do Ramos (PE), Padre Cícero (CE), Menina-sem-Nome (PE), Borboletas Azuis (PB), Sítio do Caldeirão (CE) e até mesmo os nacionalmente famosos Diabo da Garrafa e as Cruzes de Estrada, além dos mundiais Ex-Votos, são, assim como muitos outros, abordados e compõem a exposição Caminhos do santo.

                        Assim como os temas são diversos, a exposição também visa um público diverso. Podemos notar, por exemplo, que com o recomeço das aulas, o público mais frequente no espaço é o de estudantes, ainda no Ensino Médio ou Fundamental. Isto, claro, não quer dizer que o espaço não tenha recebido visitações de grupos universitários. Pesquisadores também surgem com frequência no espaço, e pretendemos aumentar ainda mais este tipo de público, com ações que afirmam o museu como um espaço que constrói, divulga e difunde pesquisas e saberes, tais como a série de debates Diálogos…, que terá sua quarta edição no auditório da Livraria Cultura, no dia 05 de Maio, às 19:00 horas. Notamos também, que no mês de Janeiro, a maior parte do nosso público foi de turistas, os de fora do Brasil chegaram a 10% do público total, enquanto que os visitantes de outras partes do Brasil compuseram quase 50% do público total. Em Fevereiro ouve uma equiparação entre turistas e locais, mantendo os estrangeiros perto de 10% do público. Por fim, em Março houve uma grande explosão de visitantes locais, especialmente por conta das visitas agendadas de colégios e outras instituições de ensino que teriam recomeçado as aulas, e uma queda de quase 50% no público de turistas, atingindo especialmente os turistas de fora do Brasil.

                        O museu segue trabalhando para aumentar ainda mais o número de visitantes, não para ter grandes números, mas para ter a certeza que seus trabalhos, suas pesquisas e que o conhecimento aqui produzido e/ou difundido alcançará a maior quantidade possível de pessoas, cumprindo um de seus papéis: a difusão e democratização do conhecimento, da cultura.

                        Para tanto, temos nos empenhado em apresentar a todos um trabalho de qualidade, em construção, de olho numa consolidação.

                        Para aqueles que não fizeram parte dos 2001, fica a dica: O MAP funciona de segunda à sexta, das 9:00 às 17:00 horas. Para agendamentos, recomendados especialmente para grupos grandes, ligar para o telefone 3232-2803 (Att: Daniel Barreto), ou enviar um e-mail para: educativomap@hotmail.com