17 de maio! Risadas e relatos de memória

19 05 2011

Eis o segundo dia da Semana dos Museus no MAP. No período da manhã, recebemos um grupo do ENAI – Encontro de Adultos e Idosos – ligado ao Programa Círculos Populares de Esporte e Lazer, da Diretoria de Lazer e Cidadania. Em nosso espaço, eles entenderam rapidamente qual a dinâmica da SNM e interagiram de forma intensa diante da dramatização do cordel O Encontro de Lampião com a Mãe de Calor de Figo, feita pelos atores Kamila Souza e Luiz Veloso. De acordo com os próprios atores, a recepção do grupo foi bastante positiva, pois elas captaram a história do conto popular através de muitas risadas e comentários.

Recepção dos visitantes do MAP

                Para a Carmem Lúcia, de 59 anos, a visita a exposição Teia de Cordéis a fez lembrar sua infância e as visitas com a mãe ao centro do Recife, nas mediações da Praça do Diário e Rua Nova, onde ela podia ver tabuleiros armados com cordéis e seus vendedores recitando-os. “Era tão bonito, mas hoje a gente não vê mais”, comenta a visitante.

                Já para a Norma Lúcia, de 62 anos, a visita ao MAP a fez relembrar do seu tempo de professora de Educação Artística em que auxiliava os alunos – em suas turmas de 5º e 8º série – a construírem sua própria Literatura de Cordel para depois expô-los em barbantes pela escola.

                À tarde, recebemos um grupo de estudantes do Centro Social Dom João Costa. Após as apresentações os alunos puderam conferir mais uma dramatização feita pelo casal de atores. Dessa vez foi feita a encenação do cordel A menina que virou jumenta depois de falar de top less com frei Damião, da autoria do talentoso J. Borges. Os alunos ficaram bastante concentrados na apresentação e deram grandes e boas risadas com a história que envolve religiosidade e comportamentos sociais no nordeste brasileiro.

estudantes do Centro Dom João Costa no MAP

                Ao final da visitação fomos conversar com a estudante Mayana Cavalcante, de 15 anos que nos contou que “na escola a gente não tem acesso a isto”. Outra questão bastante interessante afirmada pela estudante foi que, inicialmente, pensava que “Cordel” era o nome de uma pessoa que tinha feito esse tipo de literatura popular e, que ficou bastante surpresa em saber a longa trajetória desses livretos. Ela também nos contou que, depois de visitar a exposição, sentiu-se instigada em conhecer mais sobre esse universo da literatura popular cogitando até a possibilidade de ser tornar uma professora de Literatura.

Público do ENAI no MAP

Além disto, como muitos outros estudantes, Mayana fez imediatamente associações da exposição Teia de Cordéis com a novela Cordel Encantado. Ela nos relatou que aqui conseguiu entender a lógica da novela, pois “reis e cangaço fazem parte de tempos e locais diferentes”. Sua fala revela um dos nossos objetivos: trazer ao entendimento do público a proposta da novela ao narrar um conto típico da história de cordel com seus diversos elementos do imaginário nordestino despreocupados com uma fidelidade histórica.

                Até amanhã, pessoal!

Anúncios




Férias no Museu

13 07 2010

Dizem as más línguas que museu é lugar de passado e de tudo que for monótono, chato e sem graça.

            Mas, quem se debruça sobre estas instituições, sabe que a realidade, em alguns momentos, é bem diferente. O passado é pertinente, porém, revisto, atualizado, servindo como portal atemporal.

            Os museus são locais propícios de aprendizado, recebendo o público em geral, em especial, as escolas que os procuram no decorrer do ano letivo, a fim de ampliarem seus horizontes acerca de elementos culturais.

            No entanto, o período das férias escolares (Julho), gera sempre uma baixa nos espaços no que concerne à visitação da comunidade escolar, sem seu público assíduo de estudantes ávidos por saber.

            Pensando nisso, o Museu de Arte Popular resolveu driblar a ausência dos alunos, participando nos dias 13, 14 e 15 de Julho, em parceria com a Gerência de Animação Cultural, da Prefeitura do Recife, da Colônia de Férias, recebendo 150 alunos de escolas público-municipais.

            Os “colonos” vivenciarão uma mediação especial, com brincadeiras, dinâmicas, teatro e muito aprendizado. Será um dia diferente para funcionários e visitantes, uma verdadeira invasão mirim e, no final, será uma grande festa, do lazer, da educação e da cultura.

            Já vamos indo que a brincadeira vai começar!!!





Pátio de São Pedro, 20 de Maio. Dia 4! Lista de sobreviventes…

21 05 2010

Dizem os estrategistas que perder uma batalha não compromete a guerra, pois, muitos são os problemas enfrentados nas trincheiras de um combate. Há dias em que faltam mantimentos, outros dias, os soldados estão fatigados e há aqueles saudosos momentos de trégua. Na batalha contra a ignorância, falta de conhecimento e a exclusão física e social o Museu de Arte Popular – MAP – e o Memorial Luiz Gonzaga – MLG – não conseguem fugir das surpresas inerentes as constantes lutas de uma guerra. Nesta Quinta-Feira, entristeceram-se ao saber que não receberiam a visita escolar agendada, mas ciente do sucesso que tem sido a 8° Semana Nacional de Museus mantiveram-se esperançosos na vitória e preparam-se para culminância do evento nesta Sexta-Feira. Apesar das baixas, existe sempre o saldo positivo do combate. Hoje, contamos com 08 vitórias, que conseguidas de forma tão especial merecem ser citadas aqui: Confira abaixo os visitantes espontâneos do MAP.

1. Fabiana Pereira de Oliveira/São Paulo

2. Maria Oliveira do Carmo/Rio de Janeiro

3. Renato Sampaio do Carmo/Rio de Janeiro

4. Ana Oliveira/Recife

5. Lylian Souza/Recife

6. Nathalie Isvavel/ Quebec – CA

7. Paul Dranim/ Quebec – CA





Para amar Recife…

15 03 2010

Para comemorar o aniversário de 473 anos do Recife, na última sexta-feira, no dia 12 de março, a Prefeitura Municipal organizou roteiros turísticos que contemplassem os principais pontos do município, realizando um passeio repleto de história e de memória, que pelos rios, ruas e becos desvelou o casario, as pontes e alma desta terra cosmopolita e encantadora.

            Assim, a Secretaria de Educação Esporte e Lazer proporcionou a aproximadamente 2.500 alunos de escolas municipais a participação nestes roteiros, incluindo o Pátio de São Pedro, onde está situado o Museu de Arte Popular. Através da atual exposição do espaço intitulada, “Caminhos do Santo”, os alunos encontraram a religiosidade dos populares, com suas crenças no diabo da garrafa, nos ex-votos de casas e nos artistas de Caruaru e Tracunhaém.

            Em uma tarde cultural os alunos também visitaram outros espaços do Pátio, tais quais: Memorial Luiz Gonzaga, Memorial Chico Science, Casa do carnaval e a Igreja de São Pedro. Como diria Clarice Lispector, os alunos tiveram a experiência de viver Recife, tal qual “o mundo que se abre de um botão em uma imensa rosa escarlate”.

Mais algumas informações através do link

http://www.recife.pe.gov.br/2010/03/12/alunos_do_recife_conhecem_pontos_turisticos_e_culturais_de_sua_cidade_170969.php