Última noite! CURTASSOMBRAÇÃO

26 08 2011

Última noite, no Hermilo Borba Filho, Cais do Apolo, s/n

Fechando a programação do CURTASSOMBRAÇÃO, após os assovios da Cumade Fulozinha, os chutes da Perna Cabiluda, a aterrorizante Loira do Banheiro e outras histórias medonhas, a noite contatará com a encenação “Encontro Assombrado” e a exibição de curtas, a partir das 19 horas, com entrada gratuita!

“Encontro assombrado (ou À procura da Botija)” – peça baseada num conto de autoria de Roberto Beltrão

Exibição de Curtas

A EMPAREDA DA RUA NOVA

Antiga lenda urbana do Recife. Não se sabe ao certo quando aconteceu. É certo, entretanto, que foi na Rua nova.

Roteiro, Edição e direção: Marlom Meirelles

Atriz: Leidiane Alves

Produção: Maria Lucieide

Edição de áudio: Gordinho

PESADELO

Baseado em um sonho real…

Direção: Paulo Leonardo

O MITO DO FOGO DO MATO

A lenda do BoiTatá

Direção: Paulo Leonardo

Ator: Daniel Fialho

 

AS SCISMAS DO DESTINO

Animação inspirada na poesia de Augusto dos Anjos

Direção: Paulo Leonardo

Atores: Leonardo Barbosa, Monica Maciel, Clara Carvalho

Animadores: Ayodê França, Raoni Assis, Nara Normande

COISAS DO ALÉM E DO RECIFE TAMBÉM

Desde o século XVI, quando as primeiras naus atracaram no Recife, os mistérios do Além passaram a fazer parte do cotidiano das pessoas. Não se sabe ao certo o porquê dessa relação íntima e assustadora, mas a verdade é que ela persiste até os dias de hoje.

Alguns causos sem explicação foram catalogados pelo sociólogo Gilberto Freyre, em seu livro Assombrações do Recife Velho. Sob inspiração do escritor, este documentário resgata a aura fantástica dessa metrópole brasileira, cujas histórias sequem em constante ebulição.

Direção, Roteiro e Produção: Marcela Alves, Mariana Lins e Rubem Carneiro

Orientação: Cláudio Bezerra

Imagens e Iluminação: Ítalo Sales

Imagens Complementares: Rogério Matos

Edição e Finalização: Leo Nascimento

INFORMAÇÕES | 3355-3110

ENTRADA GRATUITA!





CURTASSOMBRAÇÃO

24 08 2011

PROGRAMAÇÃO DIA 24/08/2011

Dia 24 /08/2011 | Início às 18 horas

Exibição | “Perna Cabiluda”

 

Bate-papo | com Rúbia Lóssio e Roberto Beltrão

 

Exibição | “Cumade Fulozinha”

24, 25 e 26 de Agosto, histórias medonhas no Teatro Hermilo

Perna Cabiluda
O curta dirigido por Beto Normal, Gil Vicente, João Júnior e Marcelo Gomes sobre a lendária assombração recifense da década de 70. Um dos entrevistados é Chico Science.

Cumade Fulozinha

Menelau Júnior

Informações |   +55 81. 3355-3110





Antonio Silvino, Lampião, Jararaca e outros na Diálogos III…

19 08 2011

Teia de Cordéis | Diálogos III… Cangaço: representações na Literatura de Cordel

Dia 23 de Agosto, no Teatro Barreto Júnior

O cangaço sempre foi um tema recorrente na Literatura de Cordel Brasileira. Transitando entre a ficção e a realidade, muitos cordelistas afiaram a língua e a ponta do lápis para contar, recontar, recriar e fantasiar a vida e os feitos de cangaceiros como o Lampião, Antônio Silvino, Corisco, Jararaca e inúmeros outros. E, assim, esses personagens, mais uma vez, ganham força no imaginário popular nordestino.

Para a terceira edição da série Diálogos…, o Museu de Arte Popular, equipamento da Fundação de Cultura Cidade do Recife, convida para uma conversa sobre as representações do cangaço na Literatura de Cordel no próximo dia 23 de agosto, no Teatro Barreto Júnior.

Para nos acompanhar nesse diálogo, estarão conosco os pesquisadores Geovanni Cabral (História/UFPE) e Rômulo Oliveira (História/UFPE).

O que | Teia de Cordéis | Diálogos III… Cangaço: representações na Literatura de Cordel

Quando | 23 de Agosto, terça-feira, às 18:30 horas

Onde | Teatro Barreto Júnior

Informações | +55 81. 3355-3110

Sobre os facilitadores da conversa |

Rômulo Oliveira | É graduado em História pela UFRPE (2007), Mestre em História Social da Cultura pela UFRPE (2010), Doutorando e História pela UFPE. Pesquisador de temas como cangaço na imprensa, Literatura regionalista e cordel, representações culturais, entre outros.

 

Geovanni Cabral | Doutorando em História pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), Mestre em História Cultural pela Universidade Federal de Pernambuco, Especialista no Ensino de História pela Universidade Federal Rural de Pernambuco – UFRPE, graduado em Licenciatura em História pela mesma Universidade. Atualmente se dedica a pesquisas sobre a obra do poeta popular José Costa Leite.





CURTASSOMBRAÇÃO

15 08 2011

Mostra de vídeos sobre assombrações pernambucanas

 CHAMADA PARA INSCRIÇÕES

Nas áreas campestres ou nas grandes capitais, as lendas e assombrações sempre encontraram espaço nas ruas e no imaginário da população. Tradicionalmente contadas e recontadas pela oralidade, essas histórias encontram eco no medo e no suspense das pessoas.

Nos dias 24, 25 e 26 de agosto, o Museu de Arte Popular, vinculado a Fundação de Cultura Cidade do Recife, promoverá a exibição de produções audiovisuais de ficção ou documentário que tenham como temas as histórias de assombração típicas de Pernambuco.

Em parceria com o MAP, teremos a curadoria do jornalista Roberto Beltrão, autor de publicações que trabalham a temática.

Os interessados devem seguir as especificações abaixo:

REGULAMENTO

 

1. Produções audiovisuais de ficção ou documentário que tenham como tema as histórias de assombração típicas de Pernambuco;

2. Não haverá limite de duração (curta, média ou longa metragem);

3. Serão aceitas peças realizadas em qualquer formato audiovisual – animação, película, vídeo, vídeo digital. Mas todos os trabalhos deveram ser entregues em formato DVD;

4. A escolha das produções a serem exibidas ficará a cargo da comissão organizadora da mostra , seguindo os critérios: originalidade, conteúdo, qualidade artística e qualidade técnica;

5. As peças deveram ser entregues no período de 08 a 19 de agosto, no Museu de Arte Popular (MAP), localizado no Pátio de São Pedro – Casa 49, juntamente com o formulário  preenchido. Fomulário disponível em  http://www.4shared.com/document/uxk4UoTG/Formulrio_de_Inscrio_CURTASSOM.html

Instruções:

a. Clique em “Baixar Agora”;
b. Aguarde o término da contagem regressiva;
c. Clique em “Baixar o Arquivo Agora”.


7. Não haverá nenhum custo de inscrição;

8. Não haverá nenhuma premiação remunerada;

+55 81. 3355-3110

museudeartepopular@hotmail.com

pesquisamap@hotmail.com

Pátio de São Pedro | casa 49

São José | Recife | PE

50020-220

Roberto Beltrão | Jornalista, professor de Jornalismo, Publicidade & Propaganda, editor e produtor de telejornais da Rede Globo Nordeste desde junho de 1996. É também autor dos livros Histórias Medonhas d’O Recife Assombrado e Estranhos Mistérios d’O Recife Assombrado, além de ser responsável pelo famoso site Assomblog.





CURTASSOMBRAÇÃO

8 08 2011

Mostra de vídeos sobre assombrações pernambucanas

 CHAMADA PARA INSCRIÇÕES

Sejam nas áreas campestres, nas grandes capitais, as lendas e assombrações sempre encontraram espaço nas ruas e no imaginário da população. Tradicionalmente contadas e recontadas pela oralidade, essas histórias encontram eco no medo e no suspense das pessoas.

Nos dias 24, 25 e 26 de agosto, o Museu de Arte Popular promoverá a exibição de produções audiovisuais de ficção ou documentário que tenham como temas as histórias de assombração típicas de Pernambuco.

Em parceria com o MAP, teremos a curadoria do jornalista Roberto Beltrão, autor de publicações que trabalham a temática.

Os interessados devem seguir as especificações abaixo:

REGULAMENTO

 

1. Produções audiovisuais de ficção ou documentário que tenham como tema as histórias de assombração típicas de Pernambuco;

2. Não haverá limite de duração (curta, média ou longa metragem);

3. Serão aceitas peças realizadas em qualquer formato audiovisual – animação, película, vídeo, vídeo digital. Mas todos os trabalhos deveram ser entregues em formato DVD;

4. A escolha das produções a serem exibidas ficará a cargo da comissão organizadora da mostra , seguindo os critérios: originalidade, conteúdo, qualidade artística e qualidade técnica;

5. As peças deveram ser entregues no período de 08 a 12 de agosto, no Museu de Arte Popular (MAP), localizado no Pátio de São Pedro – Casa 49, juntamente com o formulário  preenchido. Fomulário disponível em http://www.megaupload.com/?d=CNDL44WQ

As instruções para o download são:

a . Ao clicar no link do Megaupload, aguarde a contagem regressiva existente no canto inferior direito da tela;
b . Ao término, clique em “Download Comum” e salve o arquivo em seu computador;
c . Após preencher o formulário, entregá-lo impresso no Museu de Arte Popular (MAP) localizado no Pátio de São Pedro, Casa 49 devidamente assinado juntamente com a cópia física do video a ser submetido.

6. As peças selecionadas serão divulgadas no blog do museu (www.museudeartepopular.wordpress.com) no dia 16 de agosto;

7. Não haverá nenhum custo de inscrição;

8. Não haverá nenhuma premiação remunerada;

+55 81. 3355-3110

museudeartepopular@hotmail.com

pesquisamap@hotmail.com

Pátio de São Pedro | casa 49

São José | Recife | PE

50020-220

Roberto Beltrão | Jornalista, professor de Jornalismo, Publicidade & Propaganda, editor e produtor de telejornais da Rede Globo Nordeste desde junho de 1996. É também autor dos livros Histórias Medonhas d’O Recife Assombrado e Estranhos Mistérios d’O Recife Assombrado, além de ser responsável pelo famoso site Assomblog.

                                                 

 





17 de maio! Risadas e relatos de memória

19 05 2011

Eis o segundo dia da Semana dos Museus no MAP. No período da manhã, recebemos um grupo do ENAI – Encontro de Adultos e Idosos – ligado ao Programa Círculos Populares de Esporte e Lazer, da Diretoria de Lazer e Cidadania. Em nosso espaço, eles entenderam rapidamente qual a dinâmica da SNM e interagiram de forma intensa diante da dramatização do cordel O Encontro de Lampião com a Mãe de Calor de Figo, feita pelos atores Kamila Souza e Luiz Veloso. De acordo com os próprios atores, a recepção do grupo foi bastante positiva, pois elas captaram a história do conto popular através de muitas risadas e comentários.

Recepção dos visitantes do MAP

                Para a Carmem Lúcia, de 59 anos, a visita a exposição Teia de Cordéis a fez lembrar sua infância e as visitas com a mãe ao centro do Recife, nas mediações da Praça do Diário e Rua Nova, onde ela podia ver tabuleiros armados com cordéis e seus vendedores recitando-os. “Era tão bonito, mas hoje a gente não vê mais”, comenta a visitante.

                Já para a Norma Lúcia, de 62 anos, a visita ao MAP a fez relembrar do seu tempo de professora de Educação Artística em que auxiliava os alunos – em suas turmas de 5º e 8º série – a construírem sua própria Literatura de Cordel para depois expô-los em barbantes pela escola.

                À tarde, recebemos um grupo de estudantes do Centro Social Dom João Costa. Após as apresentações os alunos puderam conferir mais uma dramatização feita pelo casal de atores. Dessa vez foi feita a encenação do cordel A menina que virou jumenta depois de falar de top less com frei Damião, da autoria do talentoso J. Borges. Os alunos ficaram bastante concentrados na apresentação e deram grandes e boas risadas com a história que envolve religiosidade e comportamentos sociais no nordeste brasileiro.

estudantes do Centro Dom João Costa no MAP

                Ao final da visitação fomos conversar com a estudante Mayana Cavalcante, de 15 anos que nos contou que “na escola a gente não tem acesso a isto”. Outra questão bastante interessante afirmada pela estudante foi que, inicialmente, pensava que “Cordel” era o nome de uma pessoa que tinha feito esse tipo de literatura popular e, que ficou bastante surpresa em saber a longa trajetória desses livretos. Ela também nos contou que, depois de visitar a exposição, sentiu-se instigada em conhecer mais sobre esse universo da literatura popular cogitando até a possibilidade de ser tornar uma professora de Literatura.

Público do ENAI no MAP

Além disto, como muitos outros estudantes, Mayana fez imediatamente associações da exposição Teia de Cordéis com a novela Cordel Encantado. Ela nos relatou que aqui conseguiu entender a lógica da novela, pois “reis e cangaço fazem parte de tempos e locais diferentes”. Sua fala revela um dos nossos objetivos: trazer ao entendimento do público a proposta da novela ao narrar um conto típico da história de cordel com seus diversos elementos do imaginário nordestino despreocupados com uma fidelidade histórica.

                Até amanhã, pessoal!





16 de maio! Causos no MAP

17 05 2011

Mostra em cartaz no MAP até o dia 27 de Maio

 

              Como de costume o corre-corre dos últimos preparativos para a 9ª Semana de Museus, imbuída do tema Museu e Memória, tomou conta do MAP – Museu de Arte Popular –. Prova de roupas, marcação de cena, um telefonema importante e ufa!!! Um público que se formava.

                No de repente de nossas ações, como diria um dos nossos, brotou no salão expositivo uma jumenta coiceteira (este vocábulo reverbera no mapês), um Lampião de barba crespenta, uma senhora de boca “quente” e todas as confusões destes personagens arretados, com suas espantosas peripécias e causos tão singulares, tão pertinentes ao nosso imaginário, à literatura popular. 

Causos no MAP, com Kamila Souza e Luiz Veloso

 

                Os olhos atentos dos turistas cariocas – que pareciam pela primeira vez ver-se frente a frente com o Nordeste mítico – juntaram-se ao encanto e a magia vivenciados pelo público, surpreendido pelo “priminho” do Quaderna, em uma mistureba com o Rei do Cangaço.

                Infelizmente, meio a contragosto, já próximo às 17 horas, nossos lendários personagens deram adeus e resguardaram-se mais uma vez em seu esconderijo literário, avistados “Na Moça que Virou Jumenta Porque Falou de Top Less com Frei Damião, de autoria do J. Borges e a “Briga de Lampião com a Mãe de Calor de Fígo”, de José Costa Leite, ícones da literatura de cordel.